Blog

Cinco dicas para impulsionar as vendas on-line

02/06/2017

E-commerce com certificado de segurança e que faz uso de ferramentas de busca tem mais chances de ter sucesso

E-mail marketing e divulgação em redes sociais são recursos que podem aumentar as vendas

O empreendedor que procura ampliar os negócios para o plano virtual ou até mesmo somente vender on-line precisa saber se posicionar no mundo da internet. Para se destacar nesse ambiente competitivo é preciso entender a quem seus produtos se destinam, usar ferramentas que possibilitem que sua plataforma atinja o público desejado e buscar qualificação profissional, segundo o presidente do Conselho de Comércio Eletrônico da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), Pedro Guasti.

Há uma série de recursos que o empresário pode usar para otimizar seu e-commerce. Confira cinco dicas selecionadas por Pedro Guasti para impulsionar as vendas digitais:

Apresente o diferencial de seu produto
De acordo com Guasti, o empreendedor deve entender o posicionamento de seu produto em relação ao mercado. Em outras palavras, é importante saber o nível de concorrência que o item tem de enfrentar e os custos de operação do e-commerce para avaliar a margem de lucro do negócio.

“Procure avaliar se o produto tem um preço competitivo e apresente seus diferenciais. Se for algo exclusivo, personalizado, é possível ter uma margem maior e melhor posicioná-lo no mercado competidor”, diz o presidente do Conselho de Comércio Eletrônico da FecomercioSP.

Use ferramentas de divulgação
A internet é um ótimo espaço para fazer marketing. Entre os recursos disponíveis, Guasti destaca o uso do SEO (Search Engine Optimization) e SEM (Search Engine Marketing). Essas ferramentas permitem otimizar a localização do e-commerce através do Google, se apropriando de termos e palavras-chave. Dessa forma, o site pode aparecer nas primeiras páginas do portal de buscas. Alguns recursos disponíveis apresentam baixo investimento, podendo começar a partir de R$ 100 para começar a entender seu funcionamento.

O empreendedor também deve avaliar investir em redes sociais. “O Facebook cria a possibilidade de um anúncio aparecer na timeline do usuário. Com um clique, ele vai para a loja”, diz Guasti.

Além disso, uma outra alternativa é recorrer ao marketplace, onde o empreendedor participa de uma espécie de shopping on-line, dividindo o espaço com outras lojas, tendo que pagar uma comissão sobre as vendas.

Fique em contato com seus clientes
No caso do e-commerce que já estiver em operação e tiver uma base de clientes, manter uma relação com os consumidores é importante para fazer novas vendas. Guasti sugere o uso do e-mail marketing segmentado. “Quanto mais segmentado for o e-mail, melhor o retorno. Se a base de clientes não for grande, é possível enviar a mesma mensagem para todos os clientes mas isso não recomendável, pois seu retorno em vendas pode ser menor.”

Crie um site atrativo e confiável
Um site desorganizado e com pouca informação afugenta clientes. Por isso, invista em um ambiente on-line de navegação agradável, descreva os produtos com uma linguagem simples e use bastantes fotos em alta qualidade e vídeos.

Além disso, o consumidor precisa sentir confiança para efetivar uma compra. O site com um selo de certificação de segurança consegue transmitir ao cliente que se trata de uma plataforma confiável. “A certificação E-bit é gratuita. Com isso exposto o e-commerce ganha um diferencial e o consumidor tem mais confiança em comprar na loja”, diz Guasti.

Busque qualificação profissional
Entre as dicas para impulsionar os negócios, Pedro Guasti lembra que o empreendedor deve não só apenas otimizar a plataforma de vendas, mas também enriquecer seus conhecimentos sobre o ambiente digital.

“Busque se qualificar. Há cursos na internet para profissionais de e-commerce em que se aprende a fazer um plano de negócios, usar estratégias de marketing, contratar empresas de logística, escolher uma plataforma de e-commerce ideal entre outras necessidades. São conhecimentos fundamentais para o progresso do empreendimento.”

Fonte: fecomercio